Violência infantil no Brasil de 2011 a 2014: perfil do suspeito

  • Kamila Haddad, Linconl Agudo Oliveira Benito
Palavras-chave: Crianças, maus-tratos infantis, violência doméstica, violência sexual, defesa da criança e do adolescente.

Resumo

Trata-se de um estudo retrospectivo, comparativo e com abordagem quantitativa, que analisou a frequência de registros de denúncias notificadas pelo Programa Disque 100, de violência sexual contra crianças, analisando o perfil do acusado, no Brasil entre os anos de 2011 a 2014. Os dados foram solicitados junto à Secretaria Nacional de Direitos Humanos (SNDH) da Presidência da República (PR). Foram também utilizados subsídios adquiridos na BVS, LILACS e SCIELO. Por meio do presente estudo foi possível perceber um universo total de 41.842 registros, sendo que a maior frequência dos agressores identificados eram do sexo masculino com 58,90% (n=24.652), de raça/cor parda 46,05% (n=9.964) e faixa etária entre 31 a 40 anos com 19,90% (n=8.315). O estudo demonstrou ainda uma redução na frequência de registros de violência sexual contra crianças no Brasil no recorte histórico e geográfico analisados.

Publicado
2016-06-01
Como Citar
Linconl Agudo Oliveira BenitoK. H. (2016). Violência infantil no Brasil de 2011 a 2014: perfil do suspeito. Revista Ciência & Polícia, 4(1), 118-131. Recuperado de http://revista.pm.df.gov.br/index.php/rcp/article/view/34
Seção
Artigos